Back

Four Seasons convida a aproveitar o dia extra do ano bissexto

Rede de hotéis cria novas experiências a partir de uma pesquisa global que revela o valor das viagens para o bem-estar
February 11, 2020,
Toronto, Canada

Com inspiração no ano bissexto, em que há a oportunidade de um dia a mais de experiências inesquecíveis, o grupo Four Seasons procurou descobrir o que é mais importante para os viajantes em termos do valor do tempo de descanso e como desfrutá-lo. De acordo com um estudo global encomendado pela companhia, a maioria dos entrevistados, de diferentes localidades e faixas etárias, escolheriam mais tempo de férias ao invés de mais dinheiro, reafirmando que o tempo continua a ser o maior luxo de todos.

A pesquisa foi feita com pessoas dos Estados Unidos, Reino Unido, China e países do Golfo Pérsico (Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos), revelou que mais da metade dos millennials (54%), integrantes da geração X (53%) e baby boomers (56%) escolheriam mais dias livres e não um salário maior. Apenas integrantes da geração Z – muitos que já têm o luxo de mais tempo livre, mas ainda em busca da independência financeira – valorizam o aumento de ganhos (62%) mais do que dias de folga (38%).

Por outro lado, a lista de desejos de como aproveitar o tempo livre é muito mais universal, abrangendo todas as gerações de entrevistados. Refletindo uma contínua busca por autorrealização, viajantes de todas as idades querem viver experiências com significado, sejam elas grandiosas ou simples, que façam com que tenham mais contato com diferentes culturas e se sintam mais conectados com si mesmos, com os outros e com o mundo.

“O Four Seasons está sempre buscando inovações para a experiência do hóspede, e nossa pesquisa global trouxe dados sobre como as pessoas de diferentes gerações e lugares priorizam e valorizam o tempo”, diz Christian Clerc, presidente de operações globais do Four Seasons Hotels and Resorts. “O viajante de hoje busca propósito por meio de experiências autênticas, voltando para casa com um entendimento diferente do mundo ao seu redor. Como uma companhia de hotelaria de luxo, estamos na linha de frente dessa mudança dos desejos do consumidor, e isso inspira a forma como criamos as experiências. O hóspede sai de um Four Seasons com um sentimento de conexão profunda com a comunidade local e com a cultura do destino”.

Fora da zona de conforto

Uma viagem pode levar as pessoas a fazerem coisas nunca sonhadas, deixando de lado a rotina para experimentar o mundo de uma forma totalmente nova. E fazer parte de experiências transformadoras que estimulam e ampliam horizontes pode ser a chave para voltar para casa depois das férias sentindo-se diferente de verdade.

A pesquisa apontou que os viajantes mais jovens – millennials e os da geração Z – são os que mais se arriscam, comparados aos baby boomers; no entanto, quase todos (95%) concordam que nas férias se sentem mais inclinados a sair de sua zona de conforto, e mais de um terço de todos eles fizeram algo durante a viagem que não imaginavam que poderiam fazer, como experimentar um novo esporte ou aprender algo que os desafiasse mental ou fisicamente. Isso é verdadeiro principalmente entre os entrevistados da China: dois terços (66%) dos adultos chineses disseram que a melhor definição para o seu estilo de viajar é “saindo da zona de conforto”, enquanto nos outros mercados o percentual foi de 45%.

Voltar para casa diferente

Uma viagem proporciona tempo para refletir, sermos nós mesmos e adotar novas formas de pensar por que vemos o mundo de uma forma diferente. Reforçando a noção de que voltamos melhores das férias, mais de metade (51%) de todos os entrevistados disseram se sentir mais motivados, mais otimistas (46%) e mais pacientes no trabalho (42%) após o retorno. Quase 4 em 5 (79%) americanos concordam que depois de um período de férias são mais produtivos no trabalho. No Reino Unido aproximadamente 3 de cada 5 pesquisados que vieram “diferentes” para casa depois de viajar disseram que se sentiam mais otimistas, mais ligados a seus entes queridos (45%), mais compreensivos com as motivações dos outros (39%) e com mais habilidade para gerenciar o estresse (38%).

Depois do tempo de folga, adultos do Golfo Pérsico mantiveram o bem-estar das férias por um tempo mais significativo que os pesquisados de outras regiões, numa média de 26 dias contra 15 nos outros lugares. Residentes no Reino Unido mantêm a boa sensação da viagem por apenas 11 dias em média, o período mais curto entre todos os entrevistados.

Ampliar os horizontes também produz benefícios para toda a vida. Cerca de 3 em 5 participantes da pesquisa declararam aderir a novos interesses como resultado das viagens, como novas músicas (43%), aprender novas línguas (36%) e apreciar novas formas de arte (36%). Os adultos mais jovens são especialmente propensos a adotar uma nova forma de autorrealização durante uma viagem, com três quartos daqueles que estão abaixo dos 40 anos escolhendo um novo hobby ou interesse. A novidade mais adotada entre todos os entrevistados é cozinhar ou comer comidas diferentes (56%), o que reforça a importância de experiências gastronômicas únicas e autênticas, pelas quais o Four Seasons já é conhecido mundo afora.

#FSTakeYourTime

O que você faria com as 24 horas a mais de 2020? O Four Seasons acredita em transformações reais e tangíveis, por meio da conexão com o mundo e as pessoas ao redor, não importa quanto tempo se tenha. Nesse ano bissexto, a sugestão é fazer uma pausa com Take Your Time: Daily Discoveries, uma coleção de experiências do Four Seasons que não requerem mais do que 1 dia, 1 hora ou até mesmo 1 minuto. Seja um momento de meditação, uma hora caminhando por um lugar histórico ou um dia inteiro em uma expedição guiada, as experiências estão disponíveis nas propriedades ao redor do mundo, trazidas pelo Four Seasons.

Veja algumas das experiências #FSTakeYourTime.

1 Minuto

  • Moscou, Rússia: Os carrilhões de Spasskaya - A sugestão do Four Seasons de Moscou é tomar uma taça de champanhe na Imperial Suite do hotel ouvindo os sinos da Torre de Spasskaya ressoarem na Praça Vermelha.
  • Hoi An, Vietnã: beijo de boa noite - O ritual de boa noite para a Terra, ao som dos bowls no spa de Hoi An, faz o corpo receber vibrações de cura, enquanto uma vela e um bilhete com um desejo escrito à mão pelo hóspede são depositados em uma fonte de flores de lótus.

1 Hora

  • Cidade do México: um terraço na montanha - O convite do hotel no México é para um passeio pelos salões iluminados pelo sol e a vista da cidade a partir dos terraços do Castillo de Chapultepec, um enorme castelo do século 18 no topo do monte Chapultepec, a uma curta distância a pé do Four Seasons.
  • Sydney, Austrália: nas alturas - A impressionante vista de 360 graus que se descortina após a subida desafiadora de 1.332 degraus até a imponente Ponte do Porto de Sydney faz valer cada degrau vencido.

1 Dia

  • São Paulo: detox pro corpo e alma - Para repor as energias o Four Seasons São Paulo propõe um Day Spa Detox composto por um tratamento de três fases, começando na sauna úmida do hotel, para desintoxicar e eliminar as impurezas do organismo. Em seguida, uma massagem linfática relaxante de 1h30 de duração combate o inchaço do corpo e da face. No fim, uma máscara corporal de argila garante a reposição de antioxidantes e minerais, devolvendo maciez à pele desidratada.
  • Riviera Ateniense, Grécia: desacelerando no oceano - Embarcar num kaiki, um tradicional barco grego, explorar o mar Egeu e desacelerar é a proposta do Four Seasons Athens: pescar, ver sítios históricos, nadar no Golfo Sarônico e experimentar sabores locais num romântico jantar ao pôr do sol.

Notas Metodológicas

A pesquisa foi realizada pela Wakefield Research entre 5.000 adultos com mais de 18 anos em 4 mercados, sendo 2.000 no Reino Unido e 1.000 em cada um dos seguintes mercados: Estados Unidos, China e países do Golfo Pérsico, entre 16 e 23 de dezembro de 2019, utilizando um convite por e-mail e uma pesquisa online.

Pertencem à geração Z os jovens de 18 a 22 anos nascidos desde 1997; os millennials (ou geração Y) são os jovens de 23 a 38 anos nascidos entre 1981 e 1996; os integrantes da geração X têm de 39 a 54 anos, nascidos entre 1965 e 1980; e os baby boomers são os 1965, com até 73 anos de idade.

Os resultados de qualquer amostra estão sujeitos a variação amostral. A variação é mensurável e afetada pelo número de entrevistas e pelo nível das porcentagens que expressam os resultados. Para as entrevistas conduzidas neste estudo, as chances são de 95 em 100 que o resultado de uma pesquisa não varie, para mais ou para menos, em mais de 2,2 pontos percentuais entre a amostra do Reino Unido, e em mais de 3,1 pontos percentuais entre as amostras dos Estados Unidos, China e Golfo, a partir do resultado que seria obtido se as entrevistas tivessem sido conduzidas com todas as pessoas no universo representado por qualquer uma das amostras.

Para mais informações ou para discutir o estudo completo ou as especificidades regionais, por favor entre em contato com fourseasons@hlgrp.com.



PRESS CONTACTS
Sarah Tuite
Vice President, Corporate Public Relations
1165 Leslie Street
Toronto, Ontario M3C 2K8
Canada