Back

“CURA” no Ritz Four Seasons Hotel Lisboa

Uma linha fina que separa fine dining, arte e experiência
September 14, 2020,
Lisbon, Portugal

Uma habilidosa curadoria - ‘curadoria’ em português - está no coração do novo restaurante do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa, o CURA. Tal como as intemporais obras de Arte Moderna portuguesas que enquadram as áreas comuns do Hotel, cada prato aparentemente simples desdobra-se em camadas de complexidade para evocar uma resposta emocional e sensorial.

O chefe de cozinha e curador culinário principal, Pedro Pena Bastos escolhe seus ingredientes tão meticulosamente quanto um artista escolhe suas tintas, utilizando a rica paleta regional de ingredientes sazonais de Portugal para criar pratos artesanais de grande profundidade e significado.

Tratando os seus ingredientes com respeito devoto - e seguindo o seu instinto na busca do sabor, textura e técnica - o Pedro aposta na pureza dos produtos locais mais frescos numa busca constante “pela complexidade que está além da simplicidade”.

Com a sua fachada e entrada na Rua Rodrigo da Fonseca, em Lisboa, o CURA é simultaneamente da cidade e do Hotel; das pessoas e para as pessoas. À semelhança dos pratos servidos no interior, a estrutura externa austera do hotel revela camadas surpreendentes no interior: janelas do chão ao teto, amplos terraços com vista para o parque, espaços para banquetes inundados de luz natural e até mesmo uma escada suspensa única.

Tal como a conceção de uma grande exposição, o CURA reúne uma coleção de inovações e intenções num ambiente único na cidade. Dispensa a precisão da pinça em favor da liberdade artística; dá preferência à qualidade em vez da quantidade com um menu sazonal de 12 momentos inspirados em ingredientes locais; e adiciona poesia à apresentação por meio de cerâmicas, talheres e copos personalizados.

A par da apresentação, cada prato é uma celebração dramática de devaneio e realidade: Pescada de Linha, xerém de milhos e algas, “beurre blanc “ dashi  um fresquíssimo Salmonete guarnecido com brássicas, salsa e açafrão; Lula, avelã, bergamota, manteiga torrada de algas e caviar; Abobora Hokaido, cantarelos, pistáchio e capuchinhas.

Revelando ainda mais a complexidade dentro da simplicidade, o “momento do pão” deve ser saboreado. Elaborado com grãos ancestrais como barbela e que  lhe confere um sabor intenso. Este acompanhamento icónico do CURA é servido com manteiga envelhecida da Ilha das Flores, nos Açores, e azeite de azeitonas verdes uma especialidade de 'colheita antecipada' da família de Pedro em Tomar. As sobremesas também combinam um toque moderno e antigo com uma sobremesa de figos com beterraba, limão e lichens ou Alfarroba e alho preto, ovo e mel, framboesa e lavanda.

O Chef Pedro Pena Bastos é um português orgulhoso e ex-baterista de uma banda de rock. A sua equipa igualmente visionária é composta por: um engenheiro mecânico com um sorriso expansivo Mário Marques, Restaurant Manager; o inovador Marco Carmo, braço direito do Pedro; o chef de pastelaria ousadamente criativo, Diogo Lopes; e a Sommelier intuitiva e perspicaz, Gabriela Marques. Com a missão de "cozinhar com alegria e fazer os outros felizes", eles sobem ao palco da cozinha aberta do CURA como uma banda bem ensaiada, deliciando o público com uma experiência culinária ímpar num ambiente acolhedor.

“Como linha condutora do Projeto do Restaurante CURA procurámos dar continuidade à Exposição permanente de Arte que se vive no Hotel Ritz, um hotel histórico que reflete a cultura portuguesa de várias épocas” explica o Arquiteto Miguel Câncio Martins. “Consideramos o Hotel como um museu vivo, com inúmeros testemunhos de Arte em cada sala, onde se misturam esculturas, pinturas e tapeçarias de estilos tão diversos como a Art Deco, Luís XVI atualizado ou a Arte Moderna e onde se destacam também grandes obras de artistas portugueses, como é o caso das tapeçarias de Almada Negreiros”.

“Fortemente inspirados nos anos 50, altura da inauguração do Hotel Ritz e época bastante presente na decoração de todo o hotel, tivemos a preocupação em conservar, nesta recente intervenção, os painéis de madeira de modo a manter um elemento na sala que perdurasse e estivesse presente nas diversas intervenções”, acrescenta o Arquiteto. “Pretendemos que a nossa intervenção neste Projeto assegure a continuidade deste Hotel como uma Obra de referência do património nacional.”

Tudo, desde a garrafeira às paredes e móveis, foi desenvolvido como se fosse arte. Painéis de madeira e espelhos chanfrados adornam as paredes. O granito azul da Bahia adiciona drama e cor às mesas e ao bar. As espirais do tapete inspirado em Picasso contam um conto da história do Hotel, pontuada por sofás azul-petróleo, detalhes em latão, mármore Queniano preto.

“Onde cresci, no Porto, com raízes no Ribatejo, os ingredientes não eram algo que se escolhia no supermercado, mas sim ingredientes frescos. vivos, transformadores e significativos”, comenta o Chefe Pena Bastos. São essas memórias que moldaram sua abordagem na CURA, desde trabalhar com pequenos fornecedores locais até colher ervas aromáticas da natureza. Cada ingrediente é selecionado não apenas pelo seu sabor, mas pelas raízes de significado e memórias com que contribui. E enquanto o vegetariano Pena Bastos pode apreciar a carne marmoreada de porcos ibéricos alentejanos, as ofertas à base de plantas são as verdadeiras estrelas do menu.

Ingredientes cuidadosos merecem um pairing de vinho à altura. Sabiamente selecionados por Gabriela Marques, especialidades orgânicas, portuguesas e biodinâmicas encabeçam a carta de vinhos com curadoria única do CURA, cada um contando a sua própria história no menu: A Quinta da Biaia, por exemplo - com seu sabor mineral fresco e notas cítricas persistentes - para complementar a entrada de abóbora; Quinta da Caldeirinha Vinha Velha, com o seu cativante blend de uvas 'velhas' de uma vinha biológica centenária; espargos extremamente picantes. Sumo de maçã verde e manjerona - uma das muitas bebidas não alcoólicas e outros sumos prensados ​​a frio que se combinam para adicionar camadas cada vez mais profundas a um menu que é uma obra de arte do século XXI.

Com um total de 28 lugares (para cumprir requisitos de distanciamento social), o CURA está aberto para jantar de terça a sábado das 19h30 às 23h00.

As seleções incluem um menu vegetariano dedicado e uma variedade de opções fixas (7 e 13 momentos), e à la carte. Todos os menus têm opções de combinação de vinho ou sumo.

Para mais informações e reservas, por favor contactar:

  • E-mail: cura.lis@fourseasons.com
  • Tel: +351 213 811 401.